Dor irradiada da coluna: problemas nas costas podem causar sintomas em outras regiões

7 de junho de 2018 | sem comentário | Categoria(s): cirurgia da coluna, dor na coluna

Dores nas costas não são o único sinal de problemas na região: a dor irradiada da coluna também é um sinal de que há alguma disfunção. Aprenda a reconhecer os sinais disso.

Diversas estatisticas revelam que as dores nas costas são um dos principais males que acometem a população do Brasil e do mundo. De fato, o estilo de vida cada vez menos saudável adotado pelas pessoas colabora com o aumento deste quadro.

Contudo, nem todos sabem que a dor na coluna não é o único sinal de que algo não vai bem com ela: a literatura médica registra outros sintomas que também são sinais de males nas costas. Um deles é a dor irradiada, que se manifesta em outras regiões do corpo.

Nesta hora, muitas pessoas ficam em dúvida: se a dor é em outro lugar, como saber que sua origem é na coluna? Para isto, é preciso reconhecer os sinais que a origem do mal é, de fato, um distúrbio na espinha.

O que é a dor irradiada?

É perfeitamente possível que uma pessoa apresente dor em uma região do corpo, mas que a origem do problema esteja em outra zona. É o fenômeno da dor irradiada.

Ele acontece porque as estruturas do corpo estão conectadas, fazendo com que a dor se espalhe. No caso da coluna, isto é ainda mais comum devido à sua função, que é sustentar o corpo: graças a isto, há muitos nervos que partem dela e chegam a várias regiões do organismo, facilitando a propagação da dor.

Felizmente, tanto a dor irradiada quanto a não irradiada são tratáveis e reversíveis: estima-se que algo entre 70 e 80% dos casos seja sanado sem a necessidade de uma cirurgia na coluna.

dor irradiada da colunaDor irradiada da coluna lombar

Desconfortos e dores na coluna lombar são um dos principais motivos que levam a população a ver um médico.

Esta é uma das partes mais importantes do corpo, responsável por boa parte de sua sustentação. Consequentemente, a coluna lombar também mais propensa a lesões: estima-se que 80% dos americanos terá pelo menos um caso de dor lombar ao longo da vida.

Contudo, problemas nesta região também podem causar dores irradiadas, que são mais comuns nas pernas, na região da virilha e até no ânus.

Dor irradiada da coluna torácica

Formada por 12 vértebras, a coluna torácica percorre boa parte do tronco. Graças a sua posição, distúrbios torácicos podem irradiar dor para várias regiões, desde nas próprias costas (nas omoplatas, por exemplo), outras regiões da coluna (região cervical, pescoço) e outras zonas (como a barriga e o peito).

Dor irradiada da coluna cervical

A região cervical corresponde ao pescoço. Assim, quando o paciente sofre dores nesta região, pode haver algum problema com ela.

Entretanto, problemas na coluna cervical também podem causar dores irradiadas nos ombros e na cabeça. No caso da cabeça, a dor pode se apresentar em apenas um dos lados. Do mesmo modo, é possível que ela evolua e acometa um ou os dois braços.

Como avaliar se a origem de uma dor irradiada é um problema na coluna?

A dor irradiada da coluna, independente de sua zona de origem, pode vir com outros sintomas que indicam que a origem do problema está na espinha. Geralmente, eles são disfunções musculoesqueléticas, que causam dores em atividades como deitar, sentar, levantar, carregar peso, etc. Em casos mais graves, pode haver sintomas neurológicos mais severos, como formigamento nos membros e perda de controle dos esfíncteres.

É preciso ficar atento, pois há uma série de doenças que podem causar dor irradiada. Uma delas é a hérnia de disco, muito comum entre a população: quando a hérnia pressiona um nervo, causará dor em outra região. Por exemplo: em caso de compressão do nervo ciático, haverá dor nas pernas.

Do mesmo modo, é preciso ter em mente que, em determinadas situações, a coluna não dói, ou a dor na região desaparece, fazendo com que o paciente sinta apenas a dor irradiada. Isto não significa que o problema nas costas que originou a dor tenha desaparecido: ainda é preciso consultar um ortopedista, investigar sua origem e decidir o melhor método de tratamento para saná-la.

Periferização e centralização da dor

Além disso, o paciente deve ficar atento aos fenômenos de periferização e centralização da dor, que podem ser um sinal do agravamento ou melhora do quadro.

A periferização acontece quando a dor se desloca do centro da coluna para outras regiões com mais intensidade. É um sinal de piora no quadro, pois indica um aumento do stress na região que está lesionada. O ideal é buscar atenção médica o quanto antes.

Já a centralização é a redução da dor irradiada, que passa a ficar contida em uma única região. Na prática, significa redução do desconforto, o que é um sinal de melhora no quadro.


Leia também


Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
  Subscribe  
Notify of