Viagens longas causam problemas nas costas; veja como preveni-los

9 de dezembro de 2017 | sem comentário | Categoria(s): dores nas costas

Por mais prazerosas que sejam, as viagens podem causar danos à saúde refletidos principalmente em dores nas costas. Longos trajetos podem causar sérias lesões na coluna.

As festas de fim de ano são sinônimo de viagens para muitos brasileiros. Só no verão no ano passado, o Ministério do Turismo estimava mais de 73 milhões de deslocamentos dentro do país.

Devido às dimensões continentais do Brasil, é muito comum que as pessoas percorram grandes distâncias para curtir as férias ou ver a família. É quando a saúde da coluna corre perigo: passar longos períodos na mesma posição, geralmente em um assento pouco ou nada ergonômico, tem um grande potencial para causar problemas na coluna, desde pequenos desconfortos até lesões mais graves.

Deste modo, essas viagens longas têm um grande potencial para causar danos à saúde da coluna, principalmente entre quem é predisposto ou já tenha problemas de postura.

viagens longas dor nas costasPor que viagens longas causam problemas nas costas?

Ortopedistas desaconselham fortemente que as pessoas fiquem sentadas na mesma posição por horas a fio. A razão por trás disso é a sobrecarga sobre a coluna, que não foi concebida para ficar parada por tanto tempo.

Nos espaços de trabalho, o problema é sanado com móveis ergonômicos. Entretanto, no caso de viagens, seja de avião, carro ou ônibus, isso se agrava pelo fato de que as poltronas são projetadas apenas de modo a abrigar o máximo de pessoas possível, com um mínimo de conforto. Não há preocupação com a saúde da coluna.

Por exemplo: uma poltrona que não permite que o passageiro encontre uma boa posição para se acomodar, o que é sinônimo de danos à coluna e, possivelmente, de problemas de saúde mais sérios, como:

Dores incapacitantes nas costas

Os preparativos para a viagem também têm seus riscos para a saúde das costas. É comum que as pessoas forcem a coluna para pegar uma mala em um armário alto, ou fiquem horas curvadas para arrumar seus pertences dentro dela.

Entre quem viaja de avião, o momento de pegar as malas na esteira também é arriscado: se ela estiver pesada, o excesso de força pode lesionar as vértebras. A dor, nesses casos, é muito forte, e levará o viajante ao hospital quase que imediatamente.

Hérnia de disco

A hérnia de disco é uma enfermidade comum no Brasil: estima-se que haja mais 6,5 milhões de pessoas acometidas por ela em todo o país.

A doença consiste em um desgaste de uma estrutura chamada disco, que fica entre as vértebras. Isso faz com que eles se desloquem e comprimam as estruturas nervosas da espinha, causando fortes dores.

Apesar de obesidade e tabagismo serem fatores de risco, a predisposição genética tem um papel importante para determinar se uma pessoa vai desenvolvê-la ou não. Entre quem tem tendência a isso, a má postura em viagens pode acelerar o processo de desgaste, o que pode frustrar as férias de qualquer um.

Dor cervical

Não importa o meio de transporte: viajantes raramente dormem na posição adequada. O melhor seria dormir deitado, com os joelhos levemente flexionados em direção à barriga, de modo a evitar a sobrecarga da coluna durante o sono.

Entretanto, em ônibus, carros e aviões, isso não é possível. O maior problema é a falta de apoio para o pescoço: como ele fica tombado, as chances de que o viajante apresente dor na coluna cervical são grandes.

Dor lombar

A coluna lombar é a parte mais baixa da espinha, que sustenta toda a estrutura. Consequentemente, a má postura e a falta de ergonomia dos meios de transportes têm efeitos ainda maiores sobre ela.

O resultado disso é uma dor que pode ir desde um pequeno desconforto, que desaparece em questão de horas, até uma sensação incapacitante, que pode levar o viajante ao hospital. Tudo depende da saúde da sua coluna antes do trajeto.

Como prevenir problemas em viagens longas

Felizmente, é possível viajar sem dor. Algumas medidas simples aliviam o stress sobre a coluna e permitem diminuir os riscos do trajeto:

  • Sentar-se sobre os ísquios: sentar-se sobre os famosos “ossinhos do bumbum” é a chave para manter uma boa postura e não sobrecarregar a coluna.
  • Preferir poltronas espaçosas e que reclinam mais: os ônibus leito e a classe executiva dos aviões não oferecem apenas mais conforto, como, também, mais ergonomia. As poltronas mais espaçosas com maior reclinação poupam a coluna do desgaste.
  • Usar almofadas para corrigir a postura: as almofadas podem ser usadas de duas formas. A primeira é como apoio para o pescoço, evitando a dor cervical. A segunda, como apoio para a região lombar, para evitar a dor nessa região. Elas são ferramentas poderosas para ajustar e manter a posição da coluna.
  • Movimentar-se a cada 2h: por mais que o viajante procure sentar-se com a postura correta, não há nada melhor que se movimentar periodicamente. Fazê-lo a cada 2 hs já é suficiente.
  • Revezar o motorista: para quem vai viajar de carro, o ideal é ter mais de um motorista. Deste modo, ninguém sobrecarrega a coluna em excesso.
  • Pedir ajuda com as malas: no caso de malas pesadas ou que estejam no alto, o ideal é pedir ajuda a alguém. Assim, ambos dividem o peso e não há sobrecarga.

Leia também


Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz