Causas da Fibromialgia

14 de setembro de 2016 | sem comentário

A fibromialgia é uma condição deveras frustrante. Não só pode ser incrivelmente dolorosa, como também não se tem muito conhecimento a respeito. A medicina ainda precisa determinar a causa exata da doença, o que torna seu tratamento um desafio bem grande.

Há evidências de quais podem ser as causas da fibromialgia, mas os resultados são variados. As descobertas incluem:

  • As dores crônicas associadas à fibromialgia podem ser devidas a anormalidades do sistema endócrino e do sistema nervoso autônomo. Alguns pesquisadores creem que mudanças no sistema nervoso autônomo (que é ativado quando se está estressado) e no sistema endócrino (que liberam hormônios em resposta ao estresse) provocam as dores generalizadas e crônicas associadas à fibromialgia.  Um sistema nervoso autônomo super ativo induz à liberação de um excesso de hormônios que sensibilizam os receptores de dor, provocando dor e sensibilidade
  • A fibromialgia pode estar ligada a um trauma físico ou emocional através de um transtorno de estresse pós-traumático
  • A genética pode ter seu papel, visto que a fibromialgia parece ser hereditária
  • Infecções bacterianas ou virais podem causar o transtorno. O vírus da hepatite C, o HIV e a doença de Lyme já foram associados à fibromialgia e algumas evidências sugerem que vacinas também podem causá-la.
  • Outra explicação pode estar nas anormalidades do tecido muscular. Essas anormalidades podem ser de ordem estrutural, metabólica ou funcional. Podem ser causadas por distúrbios do sistema endócrino, no qual a diminuição dos níveis hormonais impede que o tecido muscular se restabeleça adequadamente.
  • Algumas pesquisas sugerem que a dor musculoesqueletal da fibromialgia pode ser causada por uma sensibilização central. A sensibilização central ocorre quando o sistema nervoso central fica sensível, o que aumenta a dor.
  • Fluxo sanguíneo anormal. Um estudo de novembro de 2008 determinou que a fibromialgia pode estar conectada ao fluxo sanguíneo anormal em duas regiões cerebrais. O estudo descobriu que as mulheres que sofrem de fibromialgia possuem um excesso de fluxo sanguíneo na região do cérebro responsável pela interpretação da intensidade da dor. Inversamente, elas possuem escassez de fluxo sanguíneo na região do cérebro envolvida na resposta à dor. Os pesquisadores descobriram também que quanto mais graves os sintomas, mas grave é o fluxo sanguíneo anormal.

As mulheres também são dez vezes mais propícias a sofrer de fibromialgia do que os homens. Um fato que, sem surpresas, não tem causa conhecida. Como muitos transtornos, é bem possível que a fibromialgia não tenha uma única causa; em vez, muitos fatores podem ter impacto sobre a probabilidade de se desenvolver essa condição. As pesquisas podem apresentar conclusões separadas, mas estão dando à comunidade médica uma melhor compreensão da fibromialgia. Sucessivamente, ajudarão a criar tratamentos eficazes.

Sintomas da Fibromialgia

Dores generalizadas e crônicas é o sintoma mais comum da fibromialgia. No entanto, os pacientes costumam ter uma variedade de sintomas. Abaixo encontram-se os mais comuns:

  • Pontos sensíveis: sensibilidade e dor numa série de pontos sensíveis é um sintoma clássico. Pontos sensíveis costumam ser confundidos com pontos-gatilho, associados à síndrome dolorosa miofascial. Os pontos-gatilho são mais localizados e os pontos sensíveis estão associados com a dor generalizada da fibromialgia. Na verdade, uma das principais maneiras de diagnosticar a fibromialgia é verificar se o paciente sente dor em pelo menos 11 dos 18 pontos sensíveis conhecidos.
  • Dor generalizada: a dor associada à fibromialgia não se limita aos pontos sensíveis. Na maioria das vezes é espalhada e significativa, podendo ser descrita como aguda, contínua e ardente. Os músculos podem latejar e se contrair. A maioria dos pacientes sente a pior dor pela manhã. Certos fatores, como um sono pouco reparador, tempo frio ou úmido, ansiedade e um excesso ou escassez de atividade, pioram a dor. Essa dor limita o movimento, sendo essa uma das razões para que a fibromialgia seja muitas vezes agrupada à artrite reumatoide.
  • Fadiga: os fibromiálgicos experimentam uma forma de intenso cansaço, chegando a ser incapacitador. Não é a fadiga no sentido que a pessoa se sente cansada após um longo dia de trabalho no escritório. É um tipo tão potente que muitas pessoas se sentem tão cansadas ao acordarem de manhã quanto se sentiam ao ir dormir. Por esse motivo, a fibromialgia costuma estar ligada à síndrome de fadiga crônica. Tal exaustão tende a agravar outros sintomas, especialmente a dor.

Em acréscimo à dor e exaustão, muitos portadores de fibromialgia relatam ter:

  • Problemas de sono: as pesquisas mostram que os fibromiálgicos experimentam acessos de atividade cerebral nos estados profundos do sono. Essas perturbações impedem que os pacientes consigam ter uma noite de sono reparador.
  • Ansiedade e/ou depressão: transtornos de humor e depressão costumam estar associados à fibromialgia. Isso pode se dar por que o trauma emocional é uma possível causa do transtorno. Além disso, visto que os sintomas são tão dolorosos, muitos portadores de fibromialgia ficam socialmente isolados.

Dor, fadiga, distúrbios do sono e depressão são o sintomas mais comuns da fibromialgia, mas a pessoa também pode ter:

  • Dificuldade de concentração e de memorizar.
  • Tontura
  • Dores durante e após o exercício físico
  • Períodos menstruais dolorosos
  • Sensibilidade ao toque, à luz e ao som
  • Rigidez muscular ao acordar ou depois de ficar por muito tempo na mesma posição

Muitos transtornos se sobrepõem à fibromialgia, embora os pesquisadores ainda tenham que determinar a correlação exata. Esses estados co-existentes incluem:

  • Síndrome do intestino irritável (dor abdominal, intumescimento, enjoo, diarreia e/ou constipação)
  • Bexiga irritável (aumento na frequência de urinar)
  • Enxaquecas
  • Síndrome de Raynaud (quando a circulação sanguínea para a superfície cutânea das mãos e pés diminui temporariamente, geralmente causando frio e entorpecimento das partes)
  • Síndrome das pernas inquietas (transtorno do sistema nervoso que provoca movimento periódico das pernas e/ou braços)
  • ATM ou Distúrbio da articulação temporomandibular (caracterizado por dor da musculatura facial, geralmente na frente dos ouvidos, têmporas e/ou pescoço, causada pelos movimentos dos maxilares)

É importante lembrar que a fibromialgia é um transtorno mal entendido e muitas vezes incorretamente diagnosticado como uma condição similar (como a artrite reumatoide). Para garantir um diagnóstico correto, preste bem atenção a todos os seus sintomas, por mais sutis que sejam. Talvez seja útil manter um diário para registrar a gravidade cotidiana das dores. Assim, você estará mais apto a falar mais precisamente com o médico sobre seus sintomas.  

Acompanhe em nosso blog mais sobre causas, sintomas e tratamentos para Fibromialgia e outros assuntos.


Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz