Hiperlordose, Hipercifose e Escoliose – O que são e como tratar as curvaturas da coluna vertebral

23 de fevereiro de 2017 | sem comentário

Posturas erradas e movimentos inadequados são as principais causas da dor nas costas e podem causar desvios nas curvaturas (lordose e cifose) da coluna.

A coluna vertebral é uma estrutura corporal composta por uma série de ossos, as vértebras, as quais são sobrepostas e separadas por um sistema de ligamentos, nervos, músculos e discos, que servem para absorver os choques entre as vértebras e as articulações. Os discos e suas articulações permitem à coluna se dobrar, torcer e a absorver choques.

Responsável por dois quintos do peso total do corpo e por sustentar a posição bípede do ser humano, a coluna vertebral, também conhecida como espinha dorsal, é constituída por 33 vértebras, divididas em cinco regiões:

  • cervical (pescoço), com sete vértebras
  • torácica (tronco), com doze vértebras
  • lombar (região da cintura), com cinco vértebras
  • sacro (região do quadril), com cinco vértebras
  • cóccix (ponta final da coluna), com quatro vértebras

Curvaturas da Coluna Vertebral

Esse conjunto de vértebras aparece disposto em uma sequência de “curvas” que funcionam como uma “mola” que proporciona à coluna, condições para suportar a compressão causada pela força de gravidade que comprime o nosso corpo no sentido da coluna cervical em direção a coluna lombar.

As curvaturas normais da coluna são adaptações do corpo às posturas adotadas pelo ser humano durante a vida. Além de ajudarem a absorver os impactos e diminuir as cargas sobre a coluna vertebral, essas curvaturas são fundamentais para o equilíbrio e por aumentar a flexibilidade do corpo.  A coluna vertebral tem quatro curvaturas, duas primárias (cifose torácica e cifose sacral), que têm a função de proteger os órgãos, e duas secundárias (lordose cervical e lordose lombar), que ajudam a distribuir uniformemente os reflexos das atividades do dia a dia, como sentar, andar, correr, levantar e carregar peso.

As curvaturas da coluna são definidas durante o crescimento. As cifoses são chamadas de curvaturas primárias porque se formam primeiro. As secundárias são as lordoses, quebras angulares das primárias, que aparecem durante a infância a partir das forças impostas sobre a coluna.

Ao nascer, o ser humano tem somente uma curvatura na coluna em forma de “C”, a cifose torácica (curvatura de convexidade posterior). A partir do momento que começa a ficar de bruços, levantar e sustentar a cabeça, passa a desenvolver a curvatura da coluna cervical, a lordose cervical (curvatura de concavidade posterior). Quando começa a ficar de pé, o bebê precisa de maior equilíbrio e passa a desenvolver uma curvatura na região lombar, a lordose lombar (curvatura de concavidade posterior).

As curvaturas da coluna são normais, mas quando aumentadas em decorrência de posturas erradas que adotamos no dia a dia, causam deformidades e são chamadas hipercifose e hiperlordose.

Por ser uma estrutura móvel, a coluna está bastante sujeita a traumatismos causados principalmente por vícios de postura e degeneração, processo de desgaste gradual que causa deformidades e doenças.

A hipercifose ocorre a partir de um aumento no grau da cifose torácica causando queda dos ombros para frente e uma posição chamada de “corcunda”. As causas mais comuns da hipercifose são as fraturas múltiplas de vértebras torácicas provocadas pela osteoporose e também a Doença de Scheuermann, que acomete principalmente adolescentes do sexo masculino com idade entre 11 e 14 anos.

A hiperlordose é caracterizada pelo aumento da curvatura na região lombar ou cervical. Na maior parte das vezes atinge mulheres, devido a alterações genéticas, fraqueza muscular ou hábitos de má postura, causando dores principalmente durante atividades que exijam bastante esforço ou durante a realização de movimentos repetitivos.

A Escoliose é uma curvatura considerada sempre anormal

A escoliose ocorre principalmente na juventude e fase adulta. É caracterizada por desvios laterais da coluna vertebral que causam assimetrias no tronco, como um ombro mais elevado que o outro ou até mesmo no jeito de andar, além de dor, alteração da expansão torácica e da mobilidade geral. Suas causas mais comuns são má formação, pós traumática (quando a pessoa sofre um acidente, por exemplo) e neuromusculares, devido à sequelas de doenças neurológicas, como poliomielite ou paralisia cerebral.

Tratamentos de Hiperlordose, Hipercifose e Escoliose

Tratar dos desvios da coluna depende do tipo de doença, a severidade, o prognóstico e a tolerância do paciente para diferentes intervenções. Os tratamentos para correção de cifose e lordose acentuadas e de escoliose visam melhorar as condições físicas, funcionais e posturais do paciente e podem ser:

  • Cinta ou colete postural – para evitar que a curva se agrave
  • Reeducação Postural Global (RPG) – para prevenir e tratar o surgimento de dores e parar a progressão da deficiência (e até mesmo reduzi-la)
  • Cirurgia – ​​para tratar distúrbios mais graves de curvaturas da coluna, diferentes procedimentos podem ser utilizados como instrumentação da coluna vertebral (uso de ganchos, varas e fios para realinhar os ossos da coluna vertebral), substituição de disco artificial e cifoplastia.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz