Fraqueza

Causas da Fraqueza Muscular:

Miopatia

Assim como na dermatite que afeta a pele e na neuropatia que afeta os nervos, a miopatia é uma condição sistêmica que ataca o tecido muscular, na maioria das vezes em todo o corpo.

Existem vários tipos de miopatias, incluindo a causada por diabetes e outras anormalidades endócrinas a partir de infecções e doenças imunológicas, além de causas tóxicas e hereditárias.

A maioria das miopatias surge primeiro em músculos próximos ao tronco, nas extremidades superiores dos músculos peitorais e nos músculos das coxas.

Sintomas

Pacientes com miopatia poderão sentir fraqueza ao subir escadas, seus joelhos poderão falsear involuntariamente e encontrar dificuldade em tarefas rotineiras como abrir jarras.

Osteoartrite e Osteoporose

Estes tipos de doença que surgem com a idade, causam falhas nas articulações seguido-se às vezes de fraturas vertebrais, podendo conseqüentemente causar lesões nervosas.

Causas neurológicas comuns de fraqueza incluem

  • AVC.
  • Lesão na medula.
  • Lesão ou dano nos nervos periféricos – freqüentemente resultado de trauma, cirurgia ou pressão produzida por postura ou posição.
  • Miopatia – Um ou mais nervos danificados, problemas sistêmicos causando diminuição dos reflexos.
  • Osteoporose / Osteoartrite – a fraqueza às vezes é um sintoma secundário em complicações destas doenças.

Radiculopatia

Médicos usam o termo radiculopatia para descrever especificamente a dor e outros sintomas como dormência, arrepio e fraqueza em seus braços ou pernas causados por algum problema nas raízes dos nervos. Estes nervos são ramificações da medula espinhal e, em cada nível ao longo da coluna, carrega sinais para o resto do corpo. Esse termo vem da combinação da palavra latina "radix", que significa a raiz da árvore e da palavra grega "pathos", que significa doença. Essa doença é freqüentemente causada por pressão direta de um disco com hérnia ou por mudanças degenerativas na região lombar, causando irritação e inflamação nas raízes dos nervos. Essa radiculopatia cria por um lado um padrão de dor e dormência que é sentido nos braços e pernas na região da pele suprida por fibras sensoriais da raiz do nervo, e por outro lado gera uma fraqueza nos músculos supridos pelas mesmas raízes nervosas. O número de raízes nervosas envolvidas pode variar de uma a várias e pode também afetar simultaneamente ambos os lados do corpo.

Sintomas

Os sintomas mais comuns de radiculopatia lombar é a ciática. Essa é uma dor que se irradia da coluna para as nádegas, descendo para as pernas e os pés. Sintomas sensitivos são mais comuns que os motores, e a fraqueza muscular é geralmente um sinal de que a compressão do nervo é mais severa. O tipo e intensidade da dor podem variar de difusa, dolorosa e de difícil localização a uma dor aguda e de fácil localização. A radiculopatia pode criar hiper-sensitividade ao toque assim como dormência na região da pele ligada à raiz nervosa. Sintomas como dormência e comichão e especialmente fraqueza nos músculos das pernas na presença de dores nas costas são sinais de que o problema pode ser mais sério.

Diagnóstico

Existem diversas causas de radiculopatia, mas o diagnóstico correto da causa dos sintomas, principia com um exame físico completo do corpo inteiro, com ênfase especial nas costas e nas extremidades inferiores. O médico examinará suas costas em termos de flexibilidade e raio de movimento, procurando detectar a presença de certos sinais indicativos de que uma determinada raiz nervosa possa estar sendo afetada. Isso envolve freqüentemente testes de força muscular e verificação de reflexos para ver se estes estão respondendo normalmente. É comum que o médico lhe peça para responder a um questionário que o ajude a localizar com mais facilidade e segurança, onde estão ocorrendo os sintomas de dor, dormência, comichão e fraqueza.

Normalmente é requerida do paciente uma seqüência de raios X, uma RM (ressonância magnética) ou uma TC (tomografia computadorizada) que podem ser usadas também para a avaliação das causas da radiculopatia. A RM (ressonância magnética) é muito útil para determinar onde as raízes nervosas estão sendo comprimidas, pois esse tipo de exame mostra detalhes das estruturas do tecido mole, como nervos e discos. A TC ( tomografia computadorizada ) é freqüentemente usada para avaliar a anatomia óssea na região lombar da coluna, que pode mostrar quanto espaço está ainda disponível para as raízes nervosas. Estas saem do canal espinhal através de um túnel ósseo chamado foramem neural, e é nesse ponto que as raízes nervosas são especialmente vulneráveis à compressão.

Em muitos casos, a TC (tomografia computadorizada) ou a RM (Ressonância Magnética) são requeridas apenas quando se decide fazer uma cirurgia, porque, segundo estudos científicos, a RM mostra que muitas pessoas que pareciam ter as costas "normais" apresentam evidência de significativas hérnias intervertebrais, que poderiam ser responsáveis por compressão de raízes nervosas e, mesmo assim, não apresentam nenhum sintoma de dores nas costas. Portanto, a RM é normalmente pedida somente quando o diagnóstico não está claro, ou depois de tornar-se patente, que o paciente não melhorará sem uma intervenção cirúrgica, para o que, o cirurgião precisará determinar qual o melhor tipo de cirurgia que deve ser feita, para aliviar os sintomas.

Tratamento

Seu médico será capaz de aclarar com você o que o seu diagnóstico significa em termos de opções de tratamento. Para a maioria das pessoas que não conseguem descobrir com segurança que sua fraqueza muscular está relacionada com a compressão de raízes nervosas, a terapia com drogas, não esteróides, antiinflamatórias, descanso e fisioterapia. Uma órtese (suporte lombar) é freqüentemente prescrita de maneira a permitir que as costas descansem.

Cirurgias para radiculopatia são oferecidas como uma opção para pessoas que apresentam evidências de que a fraqueza muscular está sendo causada pela compressão de uma raiz nervosa. Isso porque a fraqueza do músculo é um sinal definido de lesão nervosa (mais sério do que quando a dor é apenas um sintoma) e aliviar essa pressão pode ser prioritário. Na maioria das outras situações, a cirurgia é oferecida só depois que a fisioterapia, o descanso e a medicação falharam na tentativa de aliviar adequadamente os sintomas de dor, da dormência e da fraqueza.

Voltar