Médico especialista em hérnia de disco tira dúvidas sobre a doença

24 de janeiro de 2019 | sem comentário | Categoria(s): Sem categoria

Confira esclarecimentos sobre dúvidas que vão desde a faixa-etária dos pacientes até a rotina de exercícios de quem tem hérnia de disco

Dividida em quatro partes (cervical, dorsal, lombar e pélvica) a coluna tem uma estrutura semelhante a cilindros ósseos, separados por discos fibrosos. Quando a substância gelatinosa desloca-se para fora do disco fibroso, é originada uma hérnia de disco. Segundo o IBGE, cerca de 5,4 milhões de pessoas sofrem do problema no Brasil, enquanto aproximadamente 300 mil buscam uma alternativa cirúrgica à hérnia de disco.

Entre os sintomas da hérnia de disco, estão dores nas costas, principalmente nas regiões lombar e cervical. Tais dores podem ser muito fortes e costumam se espalhar pelo corpo, incluindo alterações de sensibilidade que afetam os membros inferiores, como coxas, pernas e pés. Outro grande sintoma da doença é a dor no nervo ciático.

médico hérnia de disco

Áreas mais afetadas pela hérnia de disco?

Segundo o doutor Ailton Moraes, médico especialista em hérnia de disco,responsável pela Clínica Vertebrata, de Porto Alegre, as áreas mais afetadas são as regiões lombar e cervical – quando atinge o pescoço, a hérnia de disco é chamada de hérnia cervical.

Já quando o assunto são as causas da doença, embora ela possa ser genética, outras causas para a hérnia de disco são a má postura, excesso de movimentos repetitivos, obesidade, sobrepeso e até o uso abusivo de salto alto.

Principais dúvidas sobre a hérnia de disco

Apesar de atingir cerca de 15% da população mundial segundo pesquisas, a hérnia de disco ainda é rodeada de dúvidas e mitos. Entre elas, é comum que os pacientes perguntem se podem realizar exercícios físicos. De acordo com o doutor Aílton, alongamentos como o Pilates são essenciais para controlar o problema, muitas vezes chegando a evitar a intervenção cirúrgica. “Além de atuar no condicionamento físico e tonificação muscular, o Pilates promove relaxamento e bem estar e auxilia na reabilitação”, explica.

Afinal, quando o paciente sofre de hérnia de disco, sua coluna precisa de estabilização para a redução da dor. E é exatamente esse o papel do pilates que atua no fortalecimento dos músculos abdominais e lombares e também ajuda no alinhamento e boa postura do corpo.

Exercícios físicos e hérnia de disco

“Fisioterapias manuais e exercícios como alongamentos e pilates são recomendados para fortalecer os músculos que sustentam a coluna, mas só devem ser realizados após uma avaliação com um profissional de Fisioterapia ou Educação Física para que ele identifique as limitações e sugira os exercícios adequados para cada caso”, explica o médico.

Uma das vantagens é que métodos como o pilates focam diretamente na dor, o que proporciona alívio aos pacientes com aumento de resistência e força dos músculos.

Existe idade de risco para hérnia de disco?

Outra dúvida recorrente é se a doença pode atingir os mais jovens. Afinal, com qual idade a hérnia de disco costuma ser contraída? De acordo com Moraes, geralmente, a hérnia de disco lombar ocorre entre os 30 e 50 anos enquanto a hérnia na região cervical afeta mais frequentemente a faixa-etária dos 40 a 60. Mesmo não sendo comum, o problema pode atingir pessoas de 25 a 60 anos, sem restrições de idade.

Causas da hérnia de disco

Para entender qual a causa da hérnia de disco, é preciso compreender a formação da coluna, que inclui vértebras e discos intervertebrais, que ficam entre elas.

“Quando corremos, pulamos ou caminhamos, a coluna sofre impactos, pois é a responsável pela sustentação do nosso peso e de todos os nossos movimentos, como rotação e inclinação”, explica o doutor Ailton Moraes.

O amortecedor que absorve os impactos sofridos diariamente pela coluna é o disco intervertebral. Nesse contexto, a hérnia de disco ocorre quando, por diversas razões, parte desse disco se desloca e acaba comprimindo as raízes nervosas da coluna vertebral, causando dor intensa nas regiões cervical ou lombar.

Tratamentos para a hérnia de disco

Os principais tratamentos são as fisioterapias manuais, que incluem exercícios como Pilates e alongamentos, além de analgésicos. A cirurgia somente é recomendada em casos muito avançados de hérnia de disco, quando os tratamentos conservadores não fazem efeito. Nesses episódios mais graves, recomenda-se a cirurgia minimamente invasiva para hérnia de disco.

Sua principal vantagem, de acordo com o doutor Aílton Moraes,
médico especialista em hérnia de disco, é que os avanços contínuos da medicina permitiram a aplicação de técnicas de cirurgia endoscópica, que não exigem grandes incisões. “Isso reduz consideravelmente os riscos de hemorragias e infecções, pois esse tipo de intervenção cirúrgica resulta em sangramento mínimo”, afirma. A principal diferença entre técnicas cirúrgicas tradicionais e a cirurgia minimamente invasiva é que, nesta última, a área operada é visualizada pelo cirurgião por meio de uma microcâmera, acoplada a um sistema óptico. “Assim, é obtida uma imagem de alta definição sem que seja necessário realizar cortes profundos ou mesmo o descolamento dos músculos. Outras vantagens são a dispensabilidade de anestesia geral (é necessária apenas anestesia local e sedação), pouca dor pós-operatória, com rápido retorno à rotina, bem como altos índices de sucesso”, explica o doutor.

Medicamentos para alívio da dor da hérnia de disco

Outra dúvida regular é sobre quais medicamentos devem ser usados para o tratamento da hérnia de disco. Para aliviar as dores causadas pela doença, geralmente, são recomendados medicamentos anti-inflamatórios não esteróides (AINEs), que reduzem a inflamação e, consequentemente, aliviam a pressão sobre os nervos comprimidos. Porém, tais medicamentos só devem ser usados com indicação médica.

Nos casos de hérnia de disco aguda, os medicamentos esteroides orais podem ser úteis, pois são eficazes na redução da inflamação ao redor dos nervos, o que alivia os sintomas. Analgésicos narcóticos também podem ser utilizados para o tratamento das dores graves, de curto prazo; porém, todos só devem ser usados por um breve período de tempo. “Outra medida utilizada em casos mais graves são as injeções de cortisona, administradas diretamente nas zonas de compressão dos nervos, aumentando a eficácia local”, explica o doutor.

bloqueio epidural é recomendado nos casos de dores recorrentes na coluna. Através desta técnica é realizada a injeção de uma anestesia local e a infiltração de anti-inflamatórios diretamente na área afetada pela hérnia de disco. O método é utilizado principalmente para tratar de pacientes que sofrem fortes dores, demandando uma solução mais efetiva que os medicamentos orais.

“Na maioria dos casos, também é realizada uma injeção de contraste antes do anti-inflamatório para garantir que o medicamento se espalhe da forma correta. Além disso, nas primeiras 48 horas após o bloqueio, o paciente deve permanecer de repouso, retomando suas atividades de rotina somente após essa pausa”, detalha o médico especialista em hérnia de disco.

Médico neurocirurgião especialista em tratamentos da coluna vertebral, é membro titular da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, Academia Brasileira de Neurocirurgia e Sociedade Brasileira de Coluna, bem como da North American Spine Society e Spinal Artroplasty Society.


Leia também


Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of