O que é espondilite anquilosante? Existe tratamento?

5 de fevereiro de 2021 | sem comentário | Categoria(s): Artigos, Espondilite Anquilosante, tratamento para coluna, tratamentos, vertebrata

A espondilite anquilosante é um exemplo típico do grupo de artrites que afetam principalmente a coluna ou as costas, conhecidas como espondiloartropatias. No caso da espondilite anquilosante, as articulações e ligamentos, que normalmente permitem que a coluna se mova e se flexione, ficam inflamados. Essa inflamação é responsável por causar dor e rigidez, condições que geralmente se manifestam na região lombar. 

Com o tempo, a doença pode progredir para a parte superior da coluna, tórax e pescoço. Como resultado, as articulações e os ossos (vértebras) podem se fundir, fazendo com que a coluna se torne, de fato, rígida e inflexível. Outras articulações, como quadris, ombros, joelhos ou tornozelos, também podem ser afetadas.

É uma doença crônica, e a gravidade dos sintomas e da deficiência variam de pessoa para pessoa. No entanto, o diagnóstico precoce e o tratamento adequado podem ajudar a controlar a dor e a rigidez, além de reduzir ou prevenir futuras deformidades.

Os sintomas da espondilite anquilosante aparecem com mais frequência em homens jovens, entre dezesseis e trinta anos. A doença é menos comum em mulheres, que apresentam sintomas mais leves e mais difíceis de diagnosticar. 

Cerca de 5% das pessoas com o problema, desenvolvem na infância, quando os meninos são mais suscetíveis que as meninas. Quando as crianças têm espondilite anquilosante, os sintomas geralmente começam nos quadris, joelhos, calcanhares ou dedão do pé e depois progridem para a coluna.

 

Quais são as causas da espondilite anquilosante?

A causa da espondilite anquilosante é desconhecida, mas os genes e a hereditariedade desempenham um papel em sua etiologia. Pesquisadores descobriram um gene chamado “HLA-B27”,  que é encontrado em mais de 90% das pessoas que têm a doença. O HLA-B27 é um membro da família de genes associados ao sistema imunológico, que defende o nosso organismo contra infecções.

No entanto, ter o gene HLA-B27 não significa necessariamente que o indivíduo desenvolverá a espondilite anquilosante. Na verdade, uma pessoa com o gene HLA-B27 que não tem parentes com histórico do problema, tem apenas 2% de risco de desenvolver essa doença. Já para pessoas com o gene HLA-B27, que têm pai ou irmão com espondilite, o risco de desenvolver a doença é de apenas 20%. 

Portanto, há outros fatores que desempenham um papel no desenvolvimento da doença. Alguns estudos recentes têm se concentrado em várias bactérias que podem influenciar o desenvolvimento da espondilite anquilosante. Mas nenhum agente infeccioso definido ou específico ainda foi detectado.

 

Quais são os sintomas?

A inflamação da espondilite anquilosante geralmente começa em torno da articulação sacroilíaca, onde a parte inferior da coluna encontra a pelve. Os primeiros sintomas mais comuns são dor crônica e rigidez na região lombar e nos quadris. 

Esse desconforto geralmente se desenvolve lentamente ao longo de várias semanas ou meses. Em contraste com a dor nas costas de origem diferente, a dor associada à espondilite anquilosante é pior durante os períodos de repouso.  Pessoas com a doença geralmente acordam no meio da noite com dores nas costas e sentem muita tensão pela manhã. Os sintomas geralmente diminuem com o movimento e exercícios.

Com o tempo, a dor e a rigidez podem progredir para a parte superior da coluna e até mesmo para a cavidade das costelas e pescoço. Em última análise, a inflamação pode fazer com que os ossos sacroilíacos e as vértebras se fundam ou cresçam juntos. Quando isso ocorre, a coluna e o pescoço perdem sua flexibilidade. 

Há casos em que se o problema não é diagnosticado e tratado adequadamente, pode levar à incapacidade física, com limitação dos movimentos e curvatura da coluna que dificulta o caminhar de forma ereta. Algumas vezes, o tronco acaba curvado e a cabeça baixa, o que impossibilita o paciente de olhar para frente, somente para baixo.

Trata-se de uma doença sistêmica, o que significa que pode afetar outros órgãos do corpo em algumas pessoas. A doença pode causar febre, perda de apetite, fadiga e inflamação em órgãos como pulmões, coração e até nos olhos.

 

Como é o tratamento?

Não há cura para a espondilite anquilosante. No entanto, o problema deve ser tratado o quanto antes. Isso possibilita controlar a progressão da doença ou complicações, mantendo a qualidade de vida do paciente.

O tratamento se concentra em reduzir a dor e a rigidez, evitando a deformação e ajudando a pessoa a manter suas atividades normais. As formas de tratamento da espondilite anquilosante são as seguintes:

Medicamentos: Como analgésicos, antiinflamatórios, entre outros fármacos que aliviam a dor e reduzem a inflamação articular, o que permite uma melhor qualidade de vida ao paciente e evita desconfortos durante o repouso.

Reabilitação: É fundamental que os indivíduos com espondilite anquilosante realizem exercícios físicos recomendados pelo médico especialista. 

Como a doença costuma causar uma deformação da coluna vertebral, é aconselhável que o paciente pratique esportes que fortaleçam as costas. E uma das melhores opções Um dos melhores exercícios para isso é a natação.

Cirurgia: Somente em algumas ocasiões, quando as articulações estão muito danificadas e a mobilidade foi perdida, a intervenção cirúrgica é necessária. Normalmente, ela só é recomendada quando é preciso restaurar os movimentos das juntas do quadril danificadas. São raros os casos em que a cirurgia é feita para posicionar adequadamente as costas ou o pescoço de quem ficou muito afetado pela doença.

Médico neurocirurgião especialista em tratamentos da coluna vertebral, é membro titular da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, Academia Brasileira de Neurocirurgia e Sociedade Brasileira de Coluna, bem como da North American Spine Society e Spinal Artroplasty Society.


Leia também

  • Espondilite anquilosante é uma doença da coluna mais comum em homensEspondilite anquilosante é uma doença da coluna mais comum em homens Três vezes mais frequente em homens, espondilite anquilosante pode não ter cura, mas tem tratamento. Confira sintomas que devem servir de alerta. De acordo com a Pesquisa Nacional de […]
  • Como melhorar a saúde da sua coluna?Como melhorar a saúde da sua coluna? Você já teve alguma dor nas costas leve por vários meses? E um dia, depois de várias horas sentado no escritório, de repente, uma forte pontada na região lombar o deixou incapaz de […]
  • Estou acordando com dores nas costas. O que isso significa?Estou acordando com dores nas costas. O que isso significa? Você sente uma forte dor lombar toda vez que levanta pela manhã? A sua dor nas costas o impede de dormir bem? Uma das sensações mais desagradáveis é aquela dor nas costas matinal que pode […]
  • Escoliose durante a gestação: quais os cuidados?Escoliose durante a gestação: quais os cuidados? A escoliose é um distúrbio que causa uma curva anormal da coluna vertebral, o que faz com que ela se incline para um lado. Essa curvatura pode estar em qualquer parte da coluna, embora […]
  • Hábitos para uma boa posturaHábitos para uma boa postura A higiene postural consiste em posicionar o corpo de forma adequada para proteger a coluna vertebral,  evitar sobrecarregá-la e prevenir possíveis lesões. Muitas vezes, os maus hábitos nos […]
  • Dores nas costas em criançasDores nas costas em crianças A dor nas costas é bastante comum em crianças, principalmente em idade escolar e adolescência. E isso pode ocorrer provavelmente porque passam muito tempo sentadas em más posturas, […]