Sinais de lombalgia crônica

30 de novembro de 2020 | sem comentário | Categoria(s): coluna lombar, doenças da coluna, dor na coluna, dor no corpo, lombalgia, tratamento dor nas costas, tratamento para coluna, vertebrata

No mundo todo, a dor nas costas é um dos motivos mais comuns pelos quais as pessoas vão ao médico ou faltam ao trabalho, sendo a condição considerada uma das principais causas incapacitantes para a atividade laboral.

A boa notícia é que geralmente podemos adotar medidas para prevenir ou aliviar a maioria dos episódios de dor nas costas. No entanto, quando a prevenção falha, há uma série de tratamentos que poderão solucionar o problema. 

 

Dor lombar crônica

Quando uma dor lombar se torna crônica, o paciente passa a sofrer impactos negativos no seu dia a dia. São desde mudanças psicológicas, nutricionais, até mesmo má postura na tentativa de evitar que a dor se manifeste.

Por exemplo, uma pessoa que inicia com um quadro de lombalgia, inicialmente não se preocupa. Pode pensar que é reflexo do trabalho, de práticas esportivas, etc, e acredita que logo o problema irá passar. E muitas vezes, isso ocorre de fato. 

Já quando o episódio desencadeado é de uma dor crônica, é possível que o paciente comece a ficar desanimado, pois a condição influenciará em suas rotinas, diminuindo a disposição para sair, praticar atividades físicas, etc.

O que acontece é que a dor lombar é uma das condições mais incômodas para se levar uma vida normal. O problema pode surgir como uma “pontada” em nossos músculos, irradiando para os membros inferiores.

O desconforto na região se acentua à medida em que realizamos movimentos nos quais a coluna vertebral desempenha um papel importante, como levantar, caminhar ou curvar o corpo.

A dor lombar crônica pode ainda causar tontura, febre e aumento da fadiga. Muitas vezes, a única solução para controlar a dor, antes de iniciar o tratamento, é ficar em repouso.

 

O que causa uma lombalgia?

Uma dor lombar pode ser causada por uma queda, ou mesmo devido a um movimento forçado, como o de levantar algum peso. De fato, as causas dessa síndrome podem ser muitas e de origem variada. 

Anatomicamente, a dor lombar crônica pode vir das estruturas ósseas e ligamentos da coluna vertebral. Outros fatores que ocasionam a condição podem ser de origens traumáticas, metabólicas, tumorais e infecciosas.

No entanto, a causa mais comum de dor lombar crônica é a degeneração dos discos intervertebrais e articulações posteriores, a conhecida hérnia de disco. Isso faz parte do processo de envelhecimento natural da coluna, associado à fraca musculatura abdominal e lombar, excesso de peso, ficar em pé por muito tempo e até má posturas.

 

Sintomas de lombalgia crônica

O principal sintoma da lombalgia crônica é uma dor persistente na região lombar inferior, que se manifesta ao ficar em pé e melhora visivelmente quando a pessoa deita. Também pode ser observada nas nádegas, coxa, na panturrilha, perna e calcanhar.

A dor geralmente não é percebida como um “trilho” que desce das costas até o pé, mas aparece “em pedaços”, na região lombar inferior, nos glúteos e na coxa. A condição pode comprometer a locomoção, devido à dor na parte inferior das costas e nos membros inferiores.

Assim, os sintomas mais comuns são a dor persistente na região lombar inferior, que surge discretamente e pode irradiar para o glúteo, coxa e pernas.

 

Diagnóstico e tratamento da lombalgia crônica

A medicina evoluiu muito nos últimos anos no que diz respeito às abordagens dos problemas de dores nas costas. E a Clínica Vertebrata acompanha essa tendência precisamente, proporcionando um novo conceito na investigação, diagnóstico e tratamento de doenças na coluna.

Há mais de 30 anos promovendo qualidade de vida, o espaço é liderado pelo neurocirurgião Dr. Ailton Moraes e conta com sedes em duas cidades gaúchas, Porto Alegre e Canoas, além de iniciar atendimento médico também no litoral do Rio Grande do Sul, no município de Capão da Canoa.

Referência em saúde, a Clínica Vertebrata atua com os procedimentos mais recentes, buscando oferecer uma rápida recuperação e a melhor qualidade de vida a cada paciente. As técnicas cirúrgicas aplicadas privilegiam os tratamentos minimamente invasivos, em sua maioria de caráter ambulatorial, o que promove, entre outros benefícios, o retorno mais breve as atividades habituais. 

Pare de viver com dor. Conheça um atendimento diferenciado, que identifica as necessidades do paciente e propõe um tratamento adequado para cada caso. Agende um horário com a nossa equipe e tire todas as suas dúvidas.

Médico neurocirurgião especialista em tratamentos da coluna vertebral, é membro titular da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, Academia Brasileira de Neurocirurgia e Sociedade Brasileira de Coluna, bem como da North American Spine Society e Spinal Artroplasty Society.


Leia também