Espondilite anquilosante é uma doença da coluna mais comum em homens

17 de novembro de 2017 | sem comentário | Categoria(s): coluna lombar, Destaque, doenças da coluna, dor na coluna, Espondilite Anquilosante

Três vezes mais frequente em homens, espondilite anquilosante pode não ter cura, mas tem tratamento. Confira sintomas que devem servir de alerta.

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2013, 63,9% dos homens haviam visitado o médico nos últimos 12 meses, frente a 78% das mulheres. Fazer com que eles se cuidem mais é uma grande preocupação dos órgãos de saúde pública.

É daí que vem a importância de iniciativas como o Novembro Azul.

Além do câncer de próstata, motivo da campanha que visa conscientizar os homens da importância do cuidado com a saúde, há outras doenças que afetam mais a eles e que também merecem atenção. É o caso da espondilite anquilosante, uma doença da coluna que afeta três vezes mais homens que mulheres.

O que é a espondilite anquilosante?

O próprio termo explica muito sobre a doença. “Espondilite” significa “inflamação da espinha” e anquilosante significa “fusão”.

A espondilite anquilosante é uma doença crônica que causa a inflamação dos tecidos conjuntivos, sendo que a coluna e as grandes articulações, como os ombros e a bacia, são as mais afetadas. Como é uma doença reumática, e não infecciosa, não é contagiosa.

Na coluna, a inflamação é granular. Ou seja: há a formação de pequenos nódulos entre as vértebras. Com o tempo, eles se ossificam, causando rigidez, sérios problemas de postura, podendo se tornar, até mesmo, permanentemente incapacitante.

Infelizmente, a causa da espondilite anquilosante ainda é desconhecida. Entretanto, já foram feitas conexões entre a enfermidade e pessoas portadoras do antígeno sanguíneo HLA – B27: elas teriam até 300% mais chances de apresentar a condição.

Devido ao fator genético, quem tem a doença tem 15% de chances de ter um filho que também a desenvolverá. Aconselha-se o acompanhamento precoce para avaliar a situação.

espondilite anquilosanteQuais são os sintomas da espondilite anquilosante?

Entre todos os sintomas da espondilite anquilosante, o que mais costuma levar os pacientes ao consultório é a dor nas costas e nas nádegas.

É daí que vem a dificuldade em diagnosticar: a dor nas costas é queixa recorrente em consultórios médicos mundo afora. Ela geralmente é um indicativo da doença quando dura longos períodos – os pacientes podem demorar até 2 meses para procurar um médico – e piora quando o paciente está em repouso – uma queixa frequente é a dificuldade em encontrar uma posição confortável para dormir.

Entretanto, em casos mais raros e graves, os sintomas da espondilite anquilosante podem se manifestar fora das articulações. Alguns deles são:

  • Inflamação da íris do olho;
  • Colite;
  • Fibrose pulmonar;
  • Afetação das válvulas cardíacas;
  • Psoríase.

Por mais que os sintomas geralmente se manifestem entre os 20 e os 40 anos, o desenvolvimento da doença pode começar ainda na infância. Portanto, o acompanhamento com um médico especialista é fundamental: por meio do estudo das queixas do paciente e de exames de imagem (radiografias da coluna e da bacia), ele pode descartar outras suspeitas, constatar a espondilite anquilosante e indicar o tratamento adequado.

A espondilite anquilosante tem cura?

A espondilite anquilosante, infelizmente, não tem cura. Trata-se de uma doença crônica, que exige acompanhamento por toda a vida.

Há, contudo, algumas terapias em teste. A sulfassalazina, por exemplo, tem se mostrado útil no retardamento da evolução da doença, mas ainda não há nada conclusivo.

Deste modo, o único tratamento disponível no momento é o paliativo, que visa amenizar os sintomas, retardar o desenvolvimento da doença e melhorar a qualidade de vida do paciente.

Como funciona o tratamento para a espondilite anquilosante?

O tratamento para a espondilite anquilosante pode ser feito com a combinação de diversas abordagens. Há várias técnicas que podem ser usadas, dependendo dos sintomas, de sua intensidade e do estágio da doença:

  • Acupuntura: apesar de não curar, a acupuntura, quando feita por um profissional competente, é de grande ajuda para aliviar as dores.
  • Fisioterapia: do mesmo modo, a fisioterapia ajuda o paciente a melhorar sua qualidade de vida.
  • Medicamentos: os anti inflamatórios podem ser prescritos para eliminar a fonte de todos os incômodos, que é a inflamação. Analgésicos e relaxantes musculares também podem ser úteis.
  • Cirurgia: em casos extremos, o médico pode indicar uma prótese para a articulação do quadril para o tratamento da espondilite anquilosante.

Contudo, essas medidas não bastam: também é importante adotar algumas mudanças na qualidade de vida para reduzir os efeitos da espondilite anquilosante, como:

  • Manter o peso sob controle, de modo a não sobrecarregar as articulações;
  • Não ficar longos períodos sentado em posição curvada;
  • Investir em um colchão firme e sem ondulações, que estabilize a coluna durante o sono.

Lembre-se: quando a espondilite anquilosante não recebe tratamento, pode incapacitar o paciente. Deste modo, é essencial procurar um médico especialista em coluna assim que os primeiros sintomas das espondilite anquilosante se manifestarem.

Por fim, se você tem um amigo ou familiar portador da doença, é muito importante incentivá-lo a buscar tratamento. Isso porque muitos pacientes de condições crônicas passam por fases de negação e raiva antes de reconhecer que é preciso tomar providências.


Leia também


Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz