Procedimentos minimamente invasivos para coluna vertebral

26 de janeiro de 2020 | sem comentário | Categoria(s): tratamento para coluna, tratamentos, vertebrata

Os procedimentos minimamente invasivos são as melhores opções para pacientes que necessitem de algum tipo de cirurgia. Este tipo de técnica traz diversos benefícios como  incisões menores, minimizando os danos musculares, sangramentos, tempo de recuperação, entre outras coisas. 

Um neurocirurgião, especialista em coluna vertebral, pode realizar diferentes tipos de cirurgias para diferentes problemas, como hérnia de disco, problemas congênitos, ciático, entre outros. Confira agora vários tipos de procedimentos cirúrgicos endoscópicos e como eles podem ajudá-lo.

Discectomia

Envolve a remoção cirúrgica do material que pressiona a raiz nervosa ou a medula espinhal, que é causada principalmente por hérnia de disco. Este procedimento é realizado para tratar condições como nervos comprimidos, esporão ósseo, ciático, radiculopatia.

Na discectomia minimamente invasiva, afastadores especiais são usados ​​para remover o disco herniado, o que permite aos médicos fazer incisões menores, e num período de tempo inferior a uma hora. Na maioria dos casos, os pacientes têm alta poucas horas após o procedimento.

Discectomia Cervical Anterior com Fusão 

É um procedimento semelhante ao anterior. Porém, na discectomia cervical, o neurocirurgião acessa a coluna cervical através de uma pequena incisão no pescoço e remove o material ósseo que está pressionando os nervos e causando dor. A fusão espinhal refere-se à colocação de enxerto ósseo entre as vértebras afetadas para promover o crescimento ósseo entre os corpos vertebrais. Este enxerto ajuda a estabilizar a coluna.

Foraminotomia

A foraminotomia cervical posterior é um procedimento realizado pela parte posterior do pescoço e libera mais espaço na passagem da raiz nervosa. A técnica é tão efetiva quanto a abordagem anterior com discectomia e fusão cervical. É realizada para tratar os sintomas da compressão da raiz nervosa, como dor, dormência, formigamento ou fraqueza muscular. 

A técnica não exige internação prolongada e ajuda a tratar condições como estenose foraminal, hérnia de disco, esporão ósseo, ciática e radiculopatia

Laminectomia

Na laminectomia, os neurocirurgiões removem uma lâmina da vértebra (parte posterior da vértebra que protege as estruturas nervosas do seu interior), o que ajuda a eliminar a pressão da medula espinhal em caso de estenose, hérnia de disco ou esporão ósseo. 

Quando realizada usando uma técnica minimamente invasiva, os pacientes podem receber alta no mesmo dia da cirurgia.

Fusão Espinhal

É uma das cirurgias mais complexas da coluna vertebral. A técnica tem como objetivo unir permanentemente duas ou mais vértebras, para que não haja movimentos entre elas. Para a fusão, são utilizados diferentes tipos de enxertos. É realizado para aliviar os sintomas de condições como doença degenerativa do disco, espondilolistese, estenose espinhal, fratura, infecção e tumores.

Corpectomia 

Envolve a remoção cirúrgica de parte ou de toda a vértebra, com o objetivo de aliviar a pressão sobre a medula e os nervos na região da coluna cervical. Esse tipo de cirurgia é indicada quando uma das vértebras adjacentes pressiona os nervos da cervical, ou seja, para descomprimir estruturas nervosas comprometidas

Geralmente, um enxerto ósseo ou uma prótese de metal é inserida para manter a coluna estável. É utilizada para casos de estenose, esporões ósseos, fraturas, tumor da coluna vertebral, infecção na coluna cervical, torácica ou lombar.

 

Médico neurocirurgião especialista em tratamentos da coluna vertebral, é membro titular da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, Academia Brasileira de Neurocirurgia e Sociedade Brasileira de Coluna, bem como da North American Spine Society e Spinal Artroplasty Society.


Leia também


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *