Dor na lombar pode ser passageira ou contínua

20 de novembro de 2018 | sem comentário | Categoria(s): dor na coluna, dores nas costas, lombalgia

Seja momentânea ou antiga, entenda quando é hora de buscar ajuda para a dor na lombar

Conhecida também como lombalgia, a dor na lombar ou dor nas costas é a principal causa de incapacidade no mundo. Especialistas afirmam que 90% da população terá ao menos uma crise ou episódio de dor na coluna ao longo da vida. Dentre suas principais causas, destaque para a má postura, excesso de peso e sedentarismo. É fato que a dor na lombar se divide entre os casos de desconforto passageiro (aguda) ou que acompanha o paciente há tempos (crônica), e muita gente ainda se pergunta: qual a hora de buscar ajuda médica para a dor na lombar?

Segundo o Dr. Ailton Moraes, médico especialista em coluna, a dor lombar não é doença e, sim, um sintoma que revela uma necessidade de cuidado com a saúde das costas, como rever hábitos prejudiciais ao organismo. Com causas diversas, esse mal está diretamente relacionado ao estilo de vida do paciente, como a má postura e o sedentarismo. “Ao adotar uma vida sedentária, ocorre o enfraquecimento da musculatura de sustentação, o que pressiona a coluna em excesso e causa a dor na lombar”, explica Moraes.

O estresse e o tabagismo também são outros fatores de risco que podem ocasionar a dor na lombar. Algo que costuma originar a dor na lombar é um movimento errado feito pelo paciente, seja carregando peso excessivo ou de forma equivocada, seja abaixando o tronco para pegar algo no chão, o que pode representar apenas um mal estar passageiro.

Para definir se esse tipo de dor nas costas é passageira ou se pode indicar algum problema mais grave, acompanhando o paciente há tempos, é importante distinguir os tipos de dor na lombar.

dor na lombar

Dor na lombar: crônica ou aguda?

O problema mais comum é a lombalgia aguda que é caracterizada quando a dor dura menos do que 12 semanas. Nesses casos, o incômodo aparece na coluna lombar, localizada entre a última costela e as nádegas do paciente, e apresenta piora quando ele se movimenta. Dessa forma, o paciente acaba andando com o corpo tensionado ou “duro”.

Já quando a dor dura mais do que 12 semanas, ela costuma ser caracterizada como lombalgia crônica. Com causas diversas, chamadas multifatoriais, esse tipo de dor é mais complexa de ser tratada e requer a ajuda de um centro especializado em dores nas costas, com profissionais como ortopedistas, fisioterapeutas, neurocirurgiões e reumatologistas, entre outros.

Outro fator relevante são os casos, embora raros, em que a dor na lombar pode ser um indicativo da presença de fraturas, tumores ou mesmo infecções da coluna. Por isso, independente da duração da dor, ao surgirem os primeiros sintomas é recomendável que o paciente busque um especialista em saúde da coluna para avaliar a gravidade do problema, iniciando um tratamento assertivo e personalizado de acordo com cada caso.

Tratamento para lombalgia aguda e crônica

Quando é diagnosticada a lombalgia aguda, o melhor tipo de tratamento deve ser avaliado entre o médico e o paciente. Entre as possibilidades, estão o uso de medicamentos e aplicação de bolsas de gelo, que ajudam a aliviar a dor ao anestesiar os músculos da área afetada, o que também previne e reduz o inchaço. Quando a dor ultrapassa 48 horas, a aplicação de calor no local também é recomendada, pois acalma os músculos doloridos. “Com bolsas de água quente, o fluxo sanguíneo é aumentado, o que ajuda no processo de cicatrização”, acrescenta o Dr. Ailton.

As massagens também são recomendadas, pois auxiliam no relaxamento da musculatura ao liberar endorfinas que aliviam a dor. Dessa forma, os músculos não ficam muito rígidos, o que pode piorar o problema. Já quando a dor ultrapassa 12 semanas e se torna crônica, o tratamento para a dor lombar pode ser através de sessões de fisioterapia ou de reeducação postural global (RPG).

Entretanto, somente um diagnóstico médico feito com exames clínicos e, em casos específicos, com testes mais extensos, como tomografia, radiografia ou ressonância magnética, poderá indicar a causa e a gravidade do problema. De maneira personalizada, o especialista irá recomendar o tratamento ideal para esse tipo de dor na lombar, que pode envolver repouso, fisioterapia, medicamentos ou mesmo alongamentos frequentes que podem ser realizados em casa ou em qualquer outro lugar. Somente nos casos mais graves é que a cirurgia é recomendada, quando são diagnosticados problemas como hérnias de disco ou infecções.


Leia também


Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of