Como tratamentos minimamente invasivos endoscópicos podem ajudar minha coluna?

7 de agosto de 2020 | sem comentário | Categoria(s): coluna cervical, coluna lombar, coluna vertebral, doenças da coluna, médico da coluna, tratamento para coluna, vertebrata

Você sabia que os procedimentos minimamente invasivos endoscópica minimizam os danos nos tecidos ao redor da área a ser operada e fornecem ao paciente a melhor recuperação possível? Essas são as principais vantagens da cirurgia minimamente invasiva de coluna, cuja principal diferença da cirurgia tradicional é que as incisões são mínimas e, portanto, o paciente recupera sua vida normal mais rapidamente e com menos dor.

As técnicas de cirurgia da coluna vertebral minimamente invasivas ganharam muita atenção nos últimos anos. No entanto, muitas vezes, a maioria dos pacientes não têm conhecimento dos benefícios ao tomar uma decisão sobre o tratamento.

Uma das cirurgias minimamente invasivas da coluna é a cirurgia endoscópica de coluna, que consiste em usar os mesmos parâmetros da cirurgia tradicional, mas com a menor agressão possível.

Um dos maiores problemas da cirurgia da coluna vertebral tradicional são as grandes incisões que devem ser feitas para atingir essa parte do corpo e, portanto, suas cicatrizes subsequentes, a grande perda de sangue e a longa duração das intervenções.

Por esse motivo, a cirurgia minimamente invasiva endoscópica da coluna é utilizada, sempre que possível, uma vez que os riscos de sequelas são minimizados, as cicatrizes são menores, o dano às massas musculares é mínimo e alcança uma rápida recuperação da lesão. paciente.

Além disso, os resultados podem ser comparáveis ao das cirurgias tradicionais em casos selecionados. Por todos esses motivos, a cirurgia da coluna minimamente invasiva é a mais recomendada para os pacientes, desde que, avaliados pelo médico especialista, possuam as características adequadas para realizá-la.

A técnica traz benefícios como menos perda de sangue e redução praticamente completa das transfusões, menos necessidade de analgésicos por via oral e intravenosa, redução do tempo de internação hospitalar e menos risco de infecções, o que evita longos tratamentos com antibióticos. Neste tipo de procedimento, a dor é reduzida e a vida social e profissional pode ser retomada muito mais cedo.

Atualmente, a cirurgia minimamente invasiva endoscópica é aplicada em pacientes com hérnia de disco lombar, hérnia de disco cervical, hérnia de disco torácica lateralizada, estenose do canal, e em alguns centros médicos, artrodese lombar, tumores vertebrais primários ou metastáticos, entre outras abordagens da coluna. A cirurgia minimamente invasiva de coluna também é uma opção preferencial para pacientes idosos, que não puderam ser operados com as cirurgias tradicionais.

Como é a cirurgia minimamente invasiva endoscópica de coluna?

A cirurgia minimamente invasiva endoscópica consiste em fazer uma pequena incisão de cerca de 10 mm, onde uma cânula (pequeno tubo) será colocada. Dentro desta cânula, existe uma microcâmera, que permite ampliar o campo de trabalho. Assim, não é necessário realizar grandes incisões para acessar a coluna do paciente durante a operação.

Preparação para o procedimento

Geralmente o paciente é internado no hospital pela manhã e a intervenção é realizada na mesma manhã. A internação após a operação é de algumas horas para avaliar o resultado da cirurgia. E no mesmo dia, ele recebe alta do hospital e pode ir para casa.

Cuidados pós-cirúrgicos

Assim que recebe alta do hospital, o paciente pode levar uma vida normal, com as limitações que a cirurgia de coluna implica, pois pode aparecer desconforto. Por esse motivo, não é recomendável realizar atividades esportivas ou exercícios físicos agressivos.

Entre 4 e 6 semanas, ele podem retornar a qualquer tipo de atividade física. Além disso, os resultados a curto prazo são muito satisfatórios para os pacientes, pois na maioria das vezes, podem voltar a caminhar no mesmo dia.

Pode-se dizer que uma das principais vantagens da cirurgia minimamente invasiva endoscópica de coluna é a qualidade da recuperação do paciente. Sendo menos invasiva, a dor após essa operação é muito mais suportável. Menos analgésicos e antibióticos são administrados, menos infecções ocorrem e a necessidade de transfusões é praticamente eliminada.

A cirurgia minimamente invasiva endoscópica oferece múltiplas vantagens e, acima de tudo, melhora a qualidade de vida dos pacientes no pós-operatório, obtendo resultados comparáveis que as técnicas mais tradicionais em menos tempo e com menos sofrimento.

Fale com a Clínica Vertebrata

Para conhecer os últimos avanços e tecnologias em tratamento de coluna, entre em contato com a Clínica Vertebrata. Liderada pelo neurocirurgião Dr. Ailton Moraes, há mais de 20 anos a clínica oferece um novo conceito em investigação e tratamento de doenças da coluna vertebral, dorsal, lombar e cervical.

Especializada no tratamento de doenças da coluna, a Clínica Vertebrata está presente em duas cidade, Porto Alegre e Canoas, e oferece uma infraestrutura completa para comodidade de seus pacientes.

Informe-se sobre os procedimentos mais recentes, que visam a recuperação e proporcionam uma melhor qualidade de vida ao paciente. Agende a sua consulta e tire todas as dúvidas sobre os modernos tratamento da coluna vertebral.

Médico neurocirurgião especialista em tratamentos da coluna vertebral, é membro titular da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, Academia Brasileira de Neurocirurgia e Sociedade Brasileira de Coluna, bem como da North American Spine Society e Spinal Artroplasty Society.


Leia também

  • Compreendendo as causas de dores no cóccixCompreendendo as causas de dores no cóccix Uma queda, longos períodos sentado em uma superfície dura ou mesmo um parto difícil. Situações completamente diferentes, mas que podem ocasionar um problema em comum.: dores na área do […]
  • O que é Cifoplastia e Vertebroplastia?O que é Cifoplastia e Vertebroplastia? A cifoplastia e a vertebroplastia são procedimentos minimamente invasivos realizados para tentar aliviar a dor das fraturas por compressão da coluna, estabilizando o osso fraturado com uma […]
  • Obesidade e problemas de colunaObesidade e problemas de coluna Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que 50,1% dos homens com mais de 20 anos no Brasil estão acima do peso. Entre o público feminino, o índice é de […]
  • 4 doenças reumáticas que podem afetar a coluna4 doenças reumáticas que podem afetar a coluna Muitas pessoas se referem ao reumatismo como sendo uma doença quando, na verdade, ele constitui um grupo de centenas de enfermidades que afetam, principalmente, as articulações do […]
  • 3 cuidados com a coluna na quarentena3 cuidados com a coluna na quarentena A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) abalou o mundo em diversos aspectos e impôs mudanças drásticas nas nossas rotinas diárias. A principal delas é o isolamento social, que fez com […]
  • Anatomia da Coluna: Região SacrococcígeaAnatomia da Coluna: Região Sacrococcígea Para encerrar nossa série sobre a Anatomia da Coluna, hoje vamos falar da região final desta estrutura: a Região Sacrococcígea. Reunimos muita informação para que você possa ter […]