Obesidade e problemas de coluna

19 de agosto de 2020 | sem comentário | Categoria(s): coluna cervical, coluna lombar, coluna vertebral, dor na coluna, dores nas costas, médico da coluna

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que 50,1% dos homens com mais de 20 anos no Brasil estão acima do peso. Entre o público feminino, o índice é de 48%. Dentro deste cenário, são considerados obesos 12,4% dos homens e 16,9% das mulheres.

Hoje sabemos que a obesidade já não é somente um problema estético, mas sim é um dos principais fatores de risco para o surgimento de doenças graves como a diabetes tipo 2, doenças cardíacas, pressão alta e infarto. Além destes problemas, o sobrepeso pode afetar a coluna vertebral, pois 25% das pessoas obesas apresentam mais de chances de sofrer dores na região.

O excesso de peso pode causar dor nas costas progressiva aguda e crônica. A relação entre obesidade e dor lombar é parcialmente explicada pelo estresse biomecânico que a obesidade do tronco exerce sobre a coluna torácica inferior e a coluna lombar.

Mas por que? A coluna suporta o peso da massa do tronco, então quando esse peso aumenta, o tronco se expande e a carga axial (carga que atua ao longo do eixo central do corpo) na coluna aumenta. Como consequência, o centro de gravidade se afasta da coluna. Tanto o ganho de peso quanto a distribuição geométrica anormal do peso aumentam as forças exercidas sobre a coluna.

Recuperar o peso ideal é uma das primeiras recomendações médicas quando alguém sofre de dores nas costas recorrentes. Se nosso corpo estiver acima do peso, a coluna tenderá a compensar inclinando-se para a frente ou para trás para tentar encontrar uma nova estabilização. Essa situação, mantida ao longo do tempo, poderá dar origem a uma curvatura anormal das costas.

O excesso de peso torna difícil manter uma postura estável. As estruturas musculoesqueléticas precisam fazer um esforço extra para manter a postura, pois o excesso de peso tende a desestabilizar o corpo. A relação entre quilos extras e dores nas costas e nas articulações é diretamente proporcional. Uma vez que os discos intervertebrais e outras estruturas espinhais são danificados por ter que compensar a pressão do peso extra nas costas.

Quanto mais centímetros na região abdominal, mais pressão. Ter músculos abdominais fortes é especialmente importante para “agarrar” adequadamente a coluna. Quando há muita gordura abdominal, essa função não é realizada adequadamente e, geralmente, más posturas são adotadas fazendo com que as costas precisem suportar mais pressão.

Hérnia de disco e obesidade

Pode-se dizer que a hérnia de disco é uma doença multifatorial. Não há uma causa específica para o surgimento do problema. Ela decorre de um processo degenerativo do disco intervertebral, que tem relação genética e com fatores como sedentarismo, obesidade e tabagismo.

Para ter a coluna afetada não é necessário entrar na categoria de obeso. O que ocorre é que a cada 10 quilos a mais do que o recomendado, o risco de de dores nas costas aumenta. Porém, as pessoas obesas são as mais afetadas, pois sobrecarregam o peso sobre a coluna vertebral, pressionando os discos, podendo causar uma hérnia.

Nessa relação entre obesidade e lombalgia crônica, é lógico pensar que um índice de massa corporal elevado é um agente que motiva essa degeneração, favorecendo a presença de dor lombar.

O efeito da obesidade no disco intervertebral também aumenta se a pessoa for fumante. O tabagismo reduz significativamente a tensão de oxigênio no disco intervertebral, provavelmente devido à vasoconstrição e a deficiência de oxigênio no sangue. Esses mecanismos produzem desnutrição do disco, o que o torna mais vulnerável ao estresse e lesões.

Prevenção

Para manter as costas saudáveis ​​e a saúde em geral, é importante manter um peso adequado. Por si só, isso pode prevenir o desenvolvimento de uma hérnia de disco ou minimizar seus efeitos no corpo.

Vale ressaltar que o sedentarismo associado ao mau posicionamento da coluna, favorece o desenvolvimento de lombalgias e, para evitá-la, recomenda-se a realização de exercícios de baixo impacto para diminuir o risco.

Entre as medidas recomendadas para preservar a saúde das costas estão a higiene postural, ou seja, a forma correta de sentar, carregar objetos pesados, dormir, dirigir, etc, além de exercícios básicos de condicionamento e mobilidade.

Buscando atendimento especializado

Se você já tem dor nas costas, especialmente na região lombar, e essa dor é persistente, você pode estar desenvolvendo uma hérnia de disco. A única maneira de saber se esse é o caso é consultando com um médico com especialista. Portanto, busque acompanhamento profissional o mais rápido possível.

Na Clínica Vertebrata você pode conhecer os últimos avanços e tecnologias em tratamento de coluna. Atendendo nas cidades de Porto Alegre e Canoas, a clínica é liderada pelo neurocirurgião Dr. Ailton Moraes, e traz um novo conceito na investigação e tratamento de doenças da coluna vertebral, dorsal, lombar e cervical.

Especialista no tratamento de doenças da coluna, a Clínica Vertebrata tem o compromisso de recuperar o bem-estar e promover a qualidade de vida dos seus pacientes. Agende a sua consulta e tire todas as dúvidas sobre os modernos tratamento da coluna vertebral.

Médico neurocirurgião especialista em tratamentos da coluna vertebral, é membro titular da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, Academia Brasileira de Neurocirurgia e Sociedade Brasileira de Coluna, bem como da North American Spine Society e Spinal Artroplasty Society.


Leia também