Novas técnicas minimamente invasiva para hérnias de disco

16 de setembro de 2020 | sem comentário | Categoria(s): coluna cervical

A radiculopatia cervical degenerativa é uma doença que ocorre quando o nervo espinhal cervical ou suas raízes passam por uma disfunção. Geralmente, o problema causa dor no braço e no pescoço, fraqueza muscular e na área afetada.

Essa doença neurológica costuma ser causada pelos desgaste que ocorre na coluna à medida que envelhecemos. Porém, pode acometer pessoas mais jovens que sofrem alguma lesão repentina, podendo resultar em uma hérnia de disco. Geralmente, a radiculopatia se dá por uma compressão das raízes nervosas, devido a doenças como hérnia de disco ou artrose da coluna, podendo também ter a origem relacionada a outras causas, como inflamação, isquemia, trauma na coluna ou infiltração por um tumor.

O que acontece é um estreitamento do canal espinhal, o que acaba interferindo ou comprimindo as raízes do nervo espinhal. Seus sintomas mais frequentes costumam ser dor no pescoço ou sensação de queimação que atinge os membros superiores, fraqueza nos músculos do braço, ombro ou mão, alteração da sensibilidade ou de reflexos nos membros superiores.

A radiculopatia cervical é um grande problema de saúde que afeta pacientes durante seus principais anos de trabalho. Para se ter uma ideia, nos EUA as taxas de incidência anuais do problema são de 107 por 100 mil em homens, e 64 por 100 mil em mulheres.

Novas abordagens

Porém, atualmente há tratamentos que mostram resultados satisfatórios para hérnias de disco ou outras manifestações compressivas da coluna cervical. Os procedimentos evoluíram muito nos últimos 20 anos, o que trouxe diversos benefícios na abordagem desse problema.

Apesar de a discectomia cervical anterior, a artrodese e o disco artificial ainda receberem indicações como tratamento, outras abordagens já estão disponíveis. “A discectomia cervical endoscópica percutânea posterior se apresenta como um método menos invasivo, com resultados comparáveis”, explica Dr. Ailton Moraes, neurocirurgião e diretor da Clínica Vertebrata. “Além dos resultados clínicos encorajadores relatados, uma das vantagens oferecidas por essa técnica endoscópica é a capacidade de resolver os sintomas do paciente sem a necessidade de fusão intersomática”, revela o médico.

Por ser um tratamento moderno, essa cirurgia endoscópica de abordagem posterior ainda apresenta mais benefícios aos pacientes. Principalmente nestes momentos de pandemia, quando as pessoas têm receio de permaneceram internadas no hospital, a técnica permite uma baixa permanência de internação, sendo que o paciente retorna para casa no mesmo dia.

Além disso, por ser menos invasiva, a cirurgia reduz os riscos de sangramentos durante o procedimento, e é possível voltar às rotinas diárias, como dirigir, por exemplo, em 48 horas. Também poucos dias são necessários para o retorno às atividades profissionais sem complicações.

Trata-se de um procedimento inovador na abordagem da hérnia discal e outras patologias compressivas da coluna. Apesar de pouco difundida no Brasil, essa técnica vem ganhando destaque no tratamento de problemas de hérnia de disco. E a Clínica Vertebrata já indica este tipo de intervenção para aqueles pacientes que sofrem com o problema.

Se você sofre de doenças da coluna, fale com a Clínica Vertebrata. Conheça todos os benefícios que os procedimentos minimamente invasivos podem promover na sua qualidade de vida. Entre em contato com a nossa equipe, agende sua consulta e tire todas as suas dúvidas sobre doenças da coluna. Para nós, sua saúde e bem-estar são o que mais importa.

Médico neurocirurgião especialista em tratamentos da coluna vertebral, é membro titular da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, Academia Brasileira de Neurocirurgia e Sociedade Brasileira de Coluna, bem como da North American Spine Society e Spinal Artroplasty Society.


Leia também